Prof. Dr. Evanivaldo C. Silva Júnior
Coordenador da coluna FATECNOLOGIA
evanivaldo.jr@fatec.sp.gov.br

 

Profª. Me. Selma Marques da Silva Fávaro
Revisora
selma.favaro@fatec.sp.gov.br

 

O avanço da tecnologia é algo surpreendente, novas propostas surgem a todo o momento, em todas as áreas. Uma delas tem beneficiado muito a humanidade nos últimos tempos: as inovações tecnológicas na área da saúde. 

Em agosto de 2015, os Estados Unidos aprovaram o primeiro medicamento feito em uma impressora 3D, o Spritam (Levetiracetam), desenvolvido pela empresa farmacêutica Aprecia, de Ohio, capaz de controlar convulsões provocadas pela epilepsia. Em Massachusetts, pesquisadores desenvolveram uma caneta de inteligência artificial que detecta problemas cerebrais. Apesar de ainda estar em fase de testes, a tecnologia é capaz de diagnosticar os problemas muito mais cedo que exames atualmente.

Já pensou em usar chips para substituir a ingestão de remédios e injeções, sem ter de se preocupar com horários para tomá-los? Pois bem, a empresa Microchips Biotech desenvolveu chips que, implantados no corpo, liberam as doses dos medicamentos de maneira precisa e na hora exata.

No Brasil, em 2014, o sucesso da tecnologia na medicina foi o Projeto Andar de Novo, liderado pelo cientista brasileiro Miguel Nicolelis. Ele ficou conhecido mundialmente quando um paciente usando neuropróteses deu o primeiro chute na bola na abertura da Copa do Mundo de 2014.

Ainda que aguardemos novas tecnologias acessíveis a todos, podemos usufruir gratuitamente de algumas soluções práticas na palma da mão. São os aplicativos médicos para celulares. O “Saúde”, por exemplo, controla os batimentos cardíacos e até dá dicas de nutrição ao usuário. O “OptimizeMe” ajuda a melhorar a  sua qualidade de vida analisando suas atividades diárias, disponibilizando gráficos e tabelas que relacionam essas com o seu bem-estar.

Perante tamanha necessidade do uso da internet nos dias atuais e suas possibilidades, apesar dessas tecnologias incríveis estarem longe de atuar e beneficiar a grande maioria, ainda assim podemos usufruir de várias, aprimorar nossos conhecimentos e até nos divertir com aqueles aplicativos de celulares que nos “mandam” andar mais e até mesmo nos alertam para alimentos não muito nutritivos a que não conseguimos resistir!

 

Danielle Aline Coelho
aluna do 1º semestre do curso de Tecnologia em Sistemas para Internet
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.