Prof. Dr. Evanivaldo C. Silva Júnior
Coordenador da coluna FATECNOLOGIA
evanivaldo.jr@fatec.sp.gov.br

 

Profª. Me. Selma Marques da Silva Fávaro
Revisora
selma.favaro@fatec.sp.gov.br

 

A tecnologia deve ser o ponto de apoio para a grande mudança de mentalidade da sociedade atual, promovendo grandes progressos no modo de vida da mesma, com produtos ou processos que garantam a integração do avanço das máquinas e serviços com a qualidade de vida e a conservação do meio em que vivemos.

Apesar das ações, movimentos e lembranças dos bons tempos passados com pouca tecnologia, este mesmo avanço tecnológico é uma ação imutável com relação `as facilidades oferecidas em todos os aspectos. Há bem pouco tempo, colhíamos cana de açúcar após queimadas intermináveis, submetíamos os trabalhadores rurais a condições extremamente precárias de trabalho, impactando diretamente na longevidade e qualidade de vida dos mesmos. Nas cidades, convivíamos com cinzas constantes caindo dos céus, provocando doenças respiratórias e sujando nossas roupas, casas e cidades. Atualmente, existem máquinas que fazem esta colheita sem queimadas, separando a palha da cana, cortando a mesma para melhor rendimento na indústria sucroalcooleira, sem o inconveniente da fuligem no solo e em nossas vidas. Os lavradores, antes analfabetos ou semialfabetizados, hoje são operadores especializados em máquinas totalmente automáticas, com uso de GPS (Global Positioning Systen), computadores de bordo, ar condicionado e outras facilidades, promovendo crescimento profissional e humano.

Nas minerações, vemos o uso maciço de tecnologia embarcada, onde equipamentos gigantescos trabalham, inclusive, sem a presença de operadores, atuando em locais insalubres, extremos, sem impactar o homem que anteriormente estava lá, com pouca ou nenhuma proteção.

Na indústria alimentícia, há cada vez menos manipulação e mais automação, proporcionando riscos cada vez menores de contaminação; fármacos disponíveis com preço acessível para doenças que, há bem pouco tempo, essas eram mortais.

Vemos as siderúrgicas e metalúrgicas usando cada vez mais a sucata como matéria prima, filtros para inibir o lançamento de detritos no ar, solo e águas... e, cada vez mais, aplicamos a tecnologia para monitorar consumo, qualidade e desperdício de nossas fontes de água e energia porque podemos contar com uma tecnologia disponível para a geração de energia renovável e limpa, tentando reduzir ao máximo o ataque ao meio ambiente.

Deparamo-nos com a globalização da informação através das redes sociais e internet, democratização do acesso de todos a tudo, de bom e ruim... vemos temos a disponibilidade da cultura ao alcance do toque de nossas mãos, somos informados de  boas e más notícias no instante em que ocorrem e descobrimos que o mundo é logo ali.

Temos muito a caminhar, aprender, compartilhar, processos a baratear, fontes de energia renovável a serem usadas, socializar o conhecimento, promover as grandes mudanças de comportamento e cultura para que este caminhar seja cada vez mais rápido, menos dolorido, menos segmentado e mais feliz.

Roger Alexandre de Moura
Graduando do 1º ano de Sistemas para Internet da FATEC Jales
Profª. Me. Alessandra Manoel Porto
Docente da FATEC Jales
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.