Prof. Dr. Evanivaldo C. Silva Júnior
Coordenador da coluna FATECNOLOGIA
evanivaldo.jr@fatec.sp.gov.br

 

Profª. Me. Selma Marques da Silva Fávaro
Revisora
selma.favaro@fatec.sp.gov.br

 

Um termo que tem ficado cada vez mais em evidência no meio empresarial são as chamadas Start Ups´s. Start Up é uma denominação originada nos Estados Unidos que se refere às empresas criadas com algumas características que as distinguem de uma empresa convencional como o reduzido valor inicialmente utilizado para a sua instalação, (normalmente utilizam tecnologia hightech em seu DNA), escalabilidade na produção e na entrega dos produtos, além de grande potencial de inovação.

Essa ideologia surgiu no campo da TI (Tecnologia da Informação) devido às características inerentes ao setor: os hardwares e softwares utilizados, na maioria dos casos, são de baixo custo e capacidade de alta escalabilidade, principalmente com o advento da internet; além desses fatores, têm-se o ser humano como principal matéria-prima, ente criador (senão inovador).

Um exemplo prático de uma Start Up são os aplicativos para sistemas móveis como os Smartphones. Para o desenvolvimento de um aplicativo, são necessários, basicamente, computadores (PC´s domésticos), alguns softwares, cujos custos são relativamente moderados , atrelado a uma ideia inovadora, talvez o fator mais “caro” do ponto de vista intelectual.

A ideia inovadora parte do princípio de que o aplicativo seja útil, fácil de utilizar por um público relativamente não especializado (público comum) e que contagie o senso comum no aspecto consumo, ou seja, “que pegue” que “vire moda”. Essa última premissa certamente garantirá a escalabilidade, e vice e versa.

A escalabilidade significa que o produto pode ser produzido em uma escala ilimitada, mas de forma rápida (praticamente em tempo real), que possa ser entregue de modo tão rápido quanto a produção e contar ainda com uma regularidade padronizada. Essa característica é extremamente vital para uma Start Up, pois ela impacta diretamente na vida financeira da empresa.

Como exemplos reais de Start Up´s na área de TI podem ser citados as redes sociais, os aplicativos de busca, sistemas de localização, sistemas de controle financeiro e doméstico, jogos, ferramentas para a manipulação gráfica (fotos e vídeos), aplicativos educativos e vários outros.

Apesar de o fato das Start Up´s terem surgidas e serem instaladas, principalmente, nos setores diretamente ligados à TI, os segmentos empresariais se apropriaram dessas metodologias de negócios em seus empreendimentos. As lojas virtuais são exemplos importantes dessa migração conceitual.

Há algum tempo, para se comprar um livro, era necessário se deslocar até uma livraria física para procurá-lo, analisá-lo, compará-lo a outros produtos para finalmente efetuar a compra. Na livraria virtual, esse processo pode ser realizado completamente de casa. A livraria virtual, dessa forma, atinge os preceitos de uma Start Up, principalmente no quesito escalabilidade. Em um shopping, essa livraria teria um certo público bem mais limitado, já na internet, a escala seria muito maior.

Existe uma tendência cada vez mais acentuada das empresas tomarem esse formato em suas concepções de negócios, fato evidenciado pela migração cada vez mais crescente de grandes grupos empresariais para essa vertente, como livrarias e grandes lojas de magazines. Outros desafios ainda estão por vir como a absorção dessa filosofia em mais segmentos empresariais e da evolução das Start Up´s, conhecidas também como Lean Start Up´s, mas esse é assunto para um próximo bate-papo.

 

Prof. Dr. Evanivaldo C. Silva Júnior
Docente da FATEC Jales