Prof. Dr. Evanivaldo C. Silva Júnior
Coordenador da coluna FATECNOLOGIA
evanivaldo.jr@fatec.sp.gov.br

 

Profª. Me. Selma Marques da Silva Fávaro
Revisora
selma.favaro@fatec.sp.gov.br

 

As transformações que vêm ocorrendo no mundo devido a toda essa revolução cibernética caminham de encontro com algumas questões preocupantes, considerando a tamanha influência de tudo isso no nosso dia a dia: “até que ponto os amigos virtuais são realmente amigos?”; “até que ponto nossos dados inseridos na web estão seguros”. 

A questão principal é se toda essa tecnologia atual, como a febre da internet, o uso excessivo de smarthphones, tablets, jogos e acesso às redes sociais são uma nova forma de entretenimento e diversão, ou se isso está gerando apenas uma mudança no comportamento da sociedade em geral, caminhando, como se robotizados, para os modismos da nova era? Tudo isso contribui de maneira positiva ou essa “revolução digital” é prejudicial, de uma certa forma?

Pesquisas recentes mostram o crescimento exorbitante do número de usuários da internet no mundo. Atualmente, no Brasil, existem mais de 105 milhões de pessoas conectadas na rede, ou seja, mais da metade da população. Se continuar nesse ritmo crescente, o país ultrapassará este ano o Japão, e chegará ao quarto lugar em número de conexões à internet.

Apesar dessas novas tendências tecnológicas estarem levando nossa sociedade a mudar seus hábitos diários, talvez para caminhos não tão desejáveis, não se pode negar que, ao mesmo tempo, é uma ferramenta consideravelmente facilitadora em nosso cotidiano, permitindo um acesso muito grande a conteúdos de educação, vídeos, tutoriais que levam à aprendizagem real, e até nos permite  comunicar de uma maneira mais ágil, ou até mesmo usufruir do conforto e comodidade de realizar compras online, com apenas alguns cliques, sem sair de casa.

A verdade é que a tecnologia não está só provocando mudanças radicais e se popularizando a cada dia, mas também tornando essa situação irreversível, transformada por nós mesmos em uma necessidade básica. Entendemos que há diversos tipos de relacionamentos no mundo real, uns mais próximos, outros mais distantes... o mesmo também passa a acontecer no mundo virtual, assim, saber escolher com quem se fala, mesmo em meio às novas tecnologias, ainda continua sendo um livre arbítrio.

Diante disso, o ponto mais importante é que estejamos conscientes da dosagem no uso dessas inovações tecnológicas, não ficando tanto tempo ocupados com essa virtualidade, não deixando de lado o contato direto com as pessoas, a relação humana, que é tão primordial para nossa convivência, evitando assim consequências indesejadas que a utilização desenfreada dessas ferramentas possa causar a cada um de nós.

 

Cleber Antonio Garcia (aluno de Sistemas para Internet da FATEC Jales) e
Profª Me. Alessandra Manoel Porto (Docente da FATEC Jales)
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.