Prof. Dr. Evanivaldo C. Silva Júnior
Coordenador da coluna FATECNOLOGIA
evanivaldo.jr@fatec.sp.gov.br

 

Profª. Me. Selma Marques da Silva Fávaro
Revisora
selma.favaro@fatec.sp.gov.br

 

O sistema de produção agroindustrial mundial surge com as necessidades básicas do homem, alimento, vestuário e habitação, de modo que, sem o primeiro, não sobrevive, daí a importância de duas áreas intimamente ligadas: Alimentos e Agronegócio. A Tecnologia de Alimentos surge como um elo entre a produção do setor agropecuário e o consumo de alimentos, sendo esse setor visto de maneira integrada à indústria pelo manuseio e transporte da matéria-prima, seu processamento, distribuição e consumo.

Antigamente, os alimentos eram consumidos diretamente da natureza, o que se modificou com o avanço da civilização, pela migração do homem do campo para a cidade, levando-o a desenvolver atividades industriais. Entre elas, surge a indústria de alimentos para assegurar a disponibilidade desses para toda a população, proporcionando a sua conservação em tempos de escassez ou quebras de cultivo, além de aumentar a variedade e sua atratividade. Outro aspecto desenvolvido foi o nutricional, com as dietas para manter a saúde e minimizar as doenças transmitidas por eles.

A história do homem em relação ao alimento pode ser dividida em duas etapas: coleta e produção. No início do período da segunda, vários métodos de conservação foram utilizados, como defumação, secagem, salga, fermentação e refrigeração, porém não se tinha base cientifica comprovando por que conservava. Os processos pouco evoluíram até 1810, quando o francês Nicholas Appert desenvolveu o método de processamento pelo emprego do calor combinado com fechamento hermético. Mas foi em 1864 que Pasteur comprovou, por meio de cuidadoso tratamento térmico nos alimentos, que é possível destruir a maior parte dos microrganismos maléficos à saúde e, em 1875, o físico Jacob comprovou o valor da pasteurização para a proteção da saúde.

Os historiadores reconhecem, então, os novos métodos de conservação de alimentos, que, aliados a outras tecnologias e ao conhecimento da ciência da nutrição, contribuíram para o crescimento da população. Com isso, a inovação tecnológica nessa área não se baseia mais no aumento de produção, mas, sim, na diminuição de perdas e melhoria da produção no que diz respeito à produtividade e condições de produção.

Nesse contexto, a qualidade da matéria-prima passou a ser primordial para a indústria de alimentos para obter produtos de melhor qualidade, além de diminuir as perdas devido à sua má qualidade e aos controles durante o processamento.

O Brasil é um país cuja base econômica está voltada ao agronegócio pela agricultura e pecuária. Daí a criação do curso de Tecnologia em Agronegócio, que, em relação à área de Alimentos, contribui para a produção da matéria-prima de boa qualidade utilizada pelas indústrias, obtida também pelo reaproveitamento de partes de alimentos que comumente eram descartados e destacam-se pelo seu aspecto nutricional.  Portanto, o curso forma profissionais capazes de contribuir para o desenvolvimento econômico do país.

Profª. Me. Denise Pinheiro Soncini da Costa
Docente da FATEC Jales
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.