Prof. Dr. Evanivaldo C. Silva Júnior
Coordenador da coluna FATECNOLOGIA
evanivaldo.jr@fatec.sp.gov.br

 

Profª. Me. Selma Marques da Silva Fávaro
Revisora
selma.favaro@fatec.sp.gov.br

 

A cena que será descrita é bem comum e, possivelmente, todos vocês leitores já a presenciaram, talvez sem dar muita atenção ou sentir estranheza, já que tem-se tornado cada vez mais comum em nosso dia a dia. Você passa por um corredor, por um pátio ou qualquer lugar de grande circulação de pessoas e vê que essas, apesar de próximas, estão isoladas, utilizando hipnoticamente seus celulares e tablets como se tivessem em um universo paralelo, fora do plano terrestre. Isso é bem típico entre os jovens, cada vez mais frequente entre os adultos e até entre os idosos.

Esse isolamento diz respeito a uma contradição, já que, por um lado, ressalta o distanciamento das relações humanas no que diz respeito a um contato físico mais direto, e, por outro, aponta para uma conexão com 50 bilhões de dispositivos. Em outras palavras, estamos aproximando-nos cada vez mais do mundo dos dispositivos eletrônicos.

Em nosso cotidiano, essa aproximação mostra-se cada vez mais intensa, e a tendência é aumentar. Segundo um relatório da Cisco, divulgado pelo CEO John Chambers durante a Mobile World Congress, a indústria da chamada Internet das Coisas (dispositivos conectados à rede) deverá conectar 50 bilhões de dispositivos até 2020. Para se ter uma ideia da magnitude desse fenômeno, estima-se que, em 1984, apenas 1.000 dispositivos estavam conectados à internet e, em 2010, 10 bilhões, ou seja, um crescimento assombroso. Vale observar que hoje somos aproximadamente sete bilhões de habitantes.

Dessa forma, ficaremos, assim, cada vez mais isolados? Quais serão as consequências desse afastamento?

Talvez, em um futuro de médio prazo, priorizemos o bate-papo com robôs. Discutiremos poesia com o Google. Brigaremos com a geladeira que não nos avisou que o leite acabou. Ficaremos de mal da Smart TV que não nos permitiu assistir ao filme pela segunda vez.

E quanto à comida sobre a mesa que está esfriando enquanto seu filho está há horas no banheiro com o celular? Bom, envie uma mensagem da cozinha para o forno de micro-ondas e peça para ele avisar o interruptor de luz do banheiro para adverti-lo.

Prof. Dr. Evanivaldo C. Silva Júnior
Profª Me. Selma Marques da Silva Fávaro
Docentes da FATEC Jales
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.