Prof. Dr. Evanivaldo C. Silva Júnior
Coordenador da coluna FATECNOLOGIA
evanivaldo.jr@fatec.sp.gov.br

 

Profª. Me. Selma Marques da Silva Fávaro
Revisora
selma.favaro@fatec.sp.gov.br

 

Certamente a maioria das pessoas conhece ou já ouviu falar de alguém que já sofreu com o fatídico “golpe do bilhete premiado”, aquele em que a vítima, geralmente pessoas idosas e/ou sem instrução, é levada ao erro por meio de técnicas de engenharia social, isto é, pela manipulação psicológica. Basta uma rápida pesquisa na web para saber que, mesmo sendo um golpe antigo e muito conhecido, muitas pessoas ainda são vítimas por ignorância ou ganância. Em tempos de crise econômica, a possibilidade de dinheiro fácil é muito sedutora para grande parte da população, o que facilita a aplicação de golpes em pessoas desinformadas e desesperadas diante de seus urgentes compromissos financeiros.

Ainda nos anos 1990, surgiu a versão digital do golpe do bilhete premiado, isto é, a “Fraude de Antecipação de Recursos”. De acordo com a Cartilha de Segurança para Internet, a fraude de antecipação de recursos, ou advance feefraud, é aquela na qual um golpista procura induzir uma pessoa a fornecer informações confidenciais ou a realizar um pagamento adiantado, com a promessa de futuramente receber algum tipo de benefício. O primeiro caso conhecido foi chamado de “Golpe da Nigéria”, que acontecia assim: a vítima recebe um e-mail de uma instituição da Nigéria pedindo para que ela atue como intermediária em uma transferência financeira internacional. O valor é, em muitos casos, extremamente alto e, caso aceite, no futuro ela será recompensada com uma porcentagem desse valor. A mensagem afirma que tal estratégia é adotada para evitar burocracias e agilizar o processo, e que chegaram até a vítima por meio de funcionários e outras pessoas que disseram ser ela uma pessoa honesta e merecedora do benefício. A mensagem também diz ser exclusiva e temporária, ou seja, a vítima não deve revelar a proposta a ninguém e, principalmente, deve ser rápida em aceitar. Além disso, pede que ela forneça alguns dados pessoais, tais como CPF, nome completo, conta bancária, entre outros e, finalmente, deposite uma quantia inferior àquela que foi prometida, a fim de pagar as despesas da transferência. Após fornecer os dados e efetuar o pagamento, o contato com os golpistas é perdido, assim, a vítima entende que foi enganada, perdeu dinheiro e, pior, forneceu os seus dados a um desconhecido que poderá usá-los de forma indevida.

Após o “Golpe da Nigéria”, surgiram diversas variações, todas exigindo informações ou pagamentos antecipados para que a vítima conquiste o suposto “prêmio”. A variante conhecida como “Noiva Russa” faz muitas vítimas entre homens, pois eles são induzidos a acreditar que estão conversando com uma bela mulher que supostamente os viu e se interessou por eles em uma festa ou em uma rede social. Demonstrando grande interesse amoroso pela vítima, o golpista diz que quer muito conhecê-lo, mas, infelizmente, não tem condições de pagar as despesas da viagem, assim, pede-lhe que deposite uma boa quantia em uma conta bancária. Após o depósito, o contato com o golpista é perdido. Outra variação desse golpe faz com que a vítima, além de depositar o valor, vá até um ponto de encontro e fique vulnerável a assaltos e sequestros relâmpagos. Prêmio em loteria internacional, ofertas irrecusáveis de empregos, doação de animais de raça, enfim, existem muitas variações, todas exigindo pagamento antecipado.

A melhor prevenção contra esse tipo de golpe é a informação. Esteja atento para as seguintes características: a) oferecem altos valores ou excelentes produtos como recompensa; b) solicitam sigilo; c) solicitam rapidez na decisão; e d) escrevem mensagens com erros ortográficos e gramaticais. Pergunte à pessoa como justamente você, entre tantos outros milhares de usuários da internet, foi o escolhido para tal “prêmio”; faça uma análise crítica da proposta, pois, já que para receber algum dinheiro é necessário que deposite primeiro, porque não descontar do valor que irá receber? Jamais informe seus dados pessoais ou financeiros a pessoas que não tenha certeza de quem sejam ou quem representam e, finalmente, informe-se a respeito dos golpes e fraudes na internet. Além da Cartilha de Segurança para Internet, há também diversos sites especializados em desmascarar os golpes praticados no ambiente virtual, como o “Monitor das Fraudes”.  Informe-se e não caia em “conversa fiada”, mesmo via internet.

Prof. Esp. Jorge Luís Gregório
Docente da FATEC Jales
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.